top of page

Analise de Transferências Liga Portuguesa


Seguindo a repercussão  positiva do nosso Relatório de Análise de Transferências na Pro League da Bélgica, realizamos a mesma analise em outra liga também com foco no desenvolvimento de jogadores, a Primeira Liga Portuguesa.


Partindo das mesmas premissas, acreditamos fortemente que os clubes que se concentram nas definições do perfil dos seus jogadores acabarão por obter os jogadores que melhor se enquadram na sua filosofia. Nem todos os clubes (deveriam) têm um modelo de jogo bem definido, sem relação com o adversário, mas todos deveriam ter alguns princípios e valores fundamentais.


Neste relatório, centrámo-nos na eficiência do processo de Scouting e Recrutamento na Primeira Liga Portuguesa, uma Liga que é conhecida por vender jogadores às grandes Ligas Europeias, mas também uma liga que tem um dos gastos mais baixos em taxas de transferência comparada as principais ligas europeias.


Primeiro, algumas notas importantes:


  • Listamos todas as transferências (Entradas) dos clubes para a temporada 2023-2024, juntamente com seus valores de transferência e idades.

  • Por transferência, calculamos a percentagem do total de minutos que essa transferência jogou durante a época regular.

  • Por equipa:

    • Calculamos a percentagem média do total de minutos jogados para uma transferência

    • Calculamos a idade média das transferências.

    • Calculamos a percentagem média ponderada do preço no total de minutos jogados para uma transferência, onde o peso é proporcional ao valor da transferência do jogador. Assim, se um jogador caro não tiver muitos minutos, isso afetará mais a percentagem média ponderada do que para um jogador menos caro.


 

Este relatório exclui guarda redes e empréstimos repetidos, os jogadores emprestados não estão incluídos nas taxas de transferência e usamos apenas os jogos da temporada regular (sem taça, sem jogos europeus)


As nossas principais conclusões são:


  1. O Boavista lidera a tabela na percentagem do total de minutos jogados por transferência com 74,5% e consegue uma percentagem ponderada de 78,8%. Isto acontece porque contrataram apenas dois jogadores, que tiveram sucesso aproveitando o facto de ambos estarem no clube antes por empréstimo, pelo que o Boavista não investiu muito esta temporada mas o que investiu teve impacto.

  2. O Sporting CP obteve uma pontuação muito boa na percentagem ponderada que é muito superior à sua percentagem do total de minutos, mostrando que os jogadores onde investiram mais dinheiro tiveram o maior impacto.

  3. Um clube que não apostou na mentalidade de “Comprar para Vender” foi o Braga com a média de idade das contratações nos 27 anos. Investiram em jogadores mais experientes, e os minutos jogados em ambas as métricas mostram essa decisão consistente.

  4. Surpreendentemente, vemos o Benfica perto do final da tabela, com 24,4% na percentagem do total de minutos e 30,4% na percentagem ponderada. Mas é importante dizer que contrataram alguns jogadores muito jovens da América do Sul, como Gianluca Prestrianni e Benjamin Rollheiser e nenhum deles jogou muito nesta temporada, acabando por afectar significativamente esta tabela, mas podem ficar muito bem alinhados com a estratégia e plano de negócios do Clube para desenvolver esses jogadores muito jovens e prepará-los para o grande palco no longo prazo.

  5. O Vizela chama a atenção com a percentagem ponderada de 87,3%. Isto porque o jogador onde investiram mais dinheiro foi também o jogador com maior impacto em campo, o avançado francês Essende.


Antes de tirarmos conclusões precipitadas, sabemos na MyGamePlan que este relatório precisa de muitas nuances.


Não sabemos a estratégia dos clubes que contratam os jogadores, um jogador pode ser comprado a pensar no longo prazo, para estar pronto a jogar em 2 a 3 anos. Ou a baixa percentagem de jogo pode ser o resultado de factores incontroláveis, como por ex. lesões. Também não incluímos o desempenho atual do jogador. Uma nova contratação pode ter uma quantidade razoável de minutos numa temporada, mas quando seu desempenho está abaixo do esperado, pode ser uma má contratação.


Mas consegue dar-nos uma visão geral do Scouting e recrutamento de um clube, e como os clubes estão a abordar o mercado de transferências. Eles estão a contratar jogadores que se adaptam aos seus princípios, visão e estilo de jogo? Ou não conseguem encontrar jogadores que correspondam ao seu clube ou equipa técnica?

Kommentare


bottom of page